DICAS E CURIOSIDADES

Você sabe como estimular a criatividade infantil?

Quem tem crianças por perto sabe a diferença que a convivência com os pequenos faz na vida de quem as rodeia. Normalmente, eles nos ajudam a enxergar a vida com outros olhos, com mais curiosidade, mais atenção e mais otimismo. Mas isso não é regra. Embora algumas crianças expressem naturalmente seu ímpeto criativo, uma das principais funções dos educadores é justamente auxiliar no florescimento e na manutenção dessa criatividade.

Por isso, seja você pai, mãe, tio, tia, professor ou apenas tenha amigos com crianças pequenas, fique ligado nas nossas dicas sobre qual a melhor maneira de estimular a criatividade infantil.

O maior inimigo da criatividade infantil

O poder do mundo adulto é muito intenso e, infelizmente, é grande o risco de perdermos o colorido da infância e acabarmos enquadrando as novidades que a acompanha em vez de abraçá-las e aproveitá-las. Segundo a escritora de livros para a infância Christina Dias, o maior inimigo da criatividade infantil é a falta de liberdade, de opção: “Os ambientes regulados por parâmetros preestabelecidos de forma rígida prejudicam a possibilidade de ação do ser criativo”.

O difícil, para o adulto, é identificar os limites necessários à formação, e as liberdades, fundamentais para a criação e, assim, encontrar o equilíbrio. Com formação em letras e psicopedagogia, Chris, como é conhecida por seu público, fala a partir da experiência de trabalho de anos e também da sua iniciativa exitosa de estímulo à criatividade. Ela é a idealizadora do premiado projeto Kombina, nascido em Porto Alegre, que tem entre seus principais objetivos levar arte, literatura e brincadeiras a crianças de todas as idades.

Adultos precisam manter postura aberta e livre de preconceitos

A melhor maneira do adulto ser aliado e não inimigo da criatividade infantil é manter uma postura aberta e livre de preconceitos, tendo a consciência de que é o conjunto de influências recebido pela criança que vai determinar a qualidade de sua relação com a criatividade.

Quando a brincadeira estiver em curso, mais do que conduzir, o ideal é se permitir seguir a criança. “Criatividade pressupõe acreditar em si e poder enxergar o que se cria”, diz Chris, lembrando que é preciso apresentar diferentes possibilidades de manifestação, proporcionar liberdade de pensamento e exposição a oferecer materiais diversos, além de tempo e espaço adequados para o desenvolvimento das atividades. A escritora ressalta a importância da questão física: “O corpo da criança precisa transitar conforme o seu desejo”.

O entorno da criança deve ser inspirador

Não basta soltar a criança no mundo e esperar que ela encontre com o que criar. É preciso também apresentá-la a coisas belas, interessantes, curiosas. O entorno dela deve ser um ambiente rico de materiais e produtos artísticos, permitindo a ela ter acesso a histórias, música, objetos de arte, filmes, quadros, fotos e também materiais com os quais ela possa (re)produzir essas manifestações: instrumentos musicais, papel, tintas, lápis coloridos, tecidos, cola etc.

A escolha dos brinquedos adequados também faz bastante diferença. Quando escolhidos corretamente, eles podem ajudar a desenvolver habilidades como a linguagem, a atenção e o pensamento.

Nunca é demais insistir: brincadeira na infância é coisa séria

Qualquer que seja a linha pedagógica, especialistas em educação infantil não cansam de repetir: brincar é a melhor maneira de desenvolver e exercitar as habilidades criativas que ajudam a criança a aprender a se relacionar e a vencer inseguranças. Falta de recursos não é desculpa para uma criança não brincar. Uma simples fuga da rotina, uma brincadeira com água no jardim, construir casinhas com cadeiras e lençóis, catar folhas e pedras pela rua, tomar banho de chuva bastam para ativar o mundo de fantasia — e criação.

Em casa, o ideal é que os pais aproveitem os finais de semana ao máximo, dedicando o tempo de folga a prestar atenção às novidades dos pequenos.

Interatividade: palavra-chave da infância criativa

Tudo o que vem pronto e traz respostas completas que não permitem a intervenção, o que impede a criação além do recebido, não estimula a criatividade. Em vez de autora e criadora, a criança é mera receptora.

Assim, em vez de um brinquedo que funciona sozinho e é apenas observado pelo pequeno, que tal oferecer fantoches que permitam à criança contar suas histórias de maneiras diferentes, bonecas de tecido que precisem ser vestidas ou arrumadas ou mesmo materiais diversos que possam ser usados conforme o desejo da criança ou mesmo sucata que tenha potencial de se transformar em brinquedos. Quantas vezes você não ouviu falar da embalagem que fez mais sucesso do que o brinquedo caro?

O que para o adulto é trabalho, para a criança pode ser oportunidade de criar

Que tal chamar o pequeno para ajudar a arrumar o jardim, acompanhar em consertos na casa ou preparar alguma coisa na cozinha? Atividades como separar e misturar ingredientes, segurar e alcançar utensílios e ferramentas são excelentes formas de envolvê-las de modo que elas se sintam participantes ativas. Essas atividades não são apenas maneiras de ensinar coisas novas às crianças, mas também maneiras de estimular que elas criem a partir do que estão apenas conhecendo.

Mais uma vez, a postura do adulto deve ser de abertura. Mostre como você faz, mas deixe espaço para a criança intervir e sugerir novas abordagens e maneiras de realizar uma atividade. Você pode se surpreender com o poder do frescor da visão infantil.

É possível usar tecnologia a favor da criança

Apesar de ter seu uso exagerado corretamente criticado por especialistas em educação, a tecnologia também pode ser uma aliada da criatividade infantil. Porque quando é usada — por tempo limitado — como meio para interação, seja através de aplicativos de pintura, jogos, leitura ou mesmo exibição de desenhos animados ou filmes com o acompanhamento — e o comentário — de adultos e cuidadores, ela também estimula a criança a intervir e modificar o que recebe. Mas, atenção! Não basta deixar um tablet na mão da criança. É preciso fazer um acompanhamento para qualificar esse uso.

Gostou das nossas dicas? Agora você já sabe como fugir do lugar-comum na hora de buscar maneiras de estimular a criatividade das crianças da sua vida. Confira presentes criativos que você pode dar aos pequenos!

0 comentário em “Você sabe como estimular a criatividade infantil?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: