DATAS ESPECIAIS DICAS E CURIOSIDADES VERÃO

Como cuidar de um cachorro no verão?

Sinônimo de alegria, férias e descontração para os humanos, o verão pode ser uma estação bem desconfortável para os animais de estimação. Mesmo quem tem pets há muito tempo, pode ficar com dúvidas sobre como cuidar de um cachorro nessa época do ano.

Diferente de seus donos, os cachorros não transpiram pela pele, o que ajuda a agravar a sensação de calor. Com algumas dicas simples, no entanto, é possível garantir que seu animal de estimação passe por essa estação com bastante conforto. Confira!

 Dê atenção redobrada à hidratação

Os cuidados com a hidratação devem ser redobrados na época mais quente do ano. Não se esqueça de manter o bebedouro do animal constantemente cheio de água fresca — mas não gelada. Como a temperatura do ambiente pode deixar a água morna rapidamente, faça trocas periódicas, mesmo que seu cãozinho não tenha bebido tudo.

Por causa da temperatura elevada, muitos cachorros têm o hábito de colocar as patas dentro do recipiente para aliviar o calor. Não há problema nisso, mas fique atento para que ele não fique sem água para beber por causa desse comportamento.

Além disso, é sempre uma boa ideia manter bebedouros em vários pontos do ambiente por onde o cão costuma circular. Assim, se ele ficar com preguiça de caminhar até o local habitual, poderá se hidratar em um bebedouro mais próximo.

Fique atento às patas do animal

Por falar em patas, elas merecem atenção especial nessa época do ano. A temperatura do piso — principalmente do asfalto, durante os passeios — pode fazer com que ele queime os coxins, as “almofadinhas da pata”.

Além disso, altas temperaturas também podem causar insolação, hipotermia e queimaduras solares. Por isso, não saia para passear com o seu pet nas horas mais quentes do dia — prefira o início da manhã e o final da tarde, períodos em que tanto a temperatura ambiente quanto a do piso são mais amenas.

Se estiver sol, mesmo quando ainda não está tão quente, de preferência às áreas sombreadas e gramadas. Evite também que ele pise no asfalto ou na areia; superfícies que guardam mais calor.

Uma boa dica para “preparar melhor” o seu pet e evitar ferimentos é caminhar com ele sempre que possível em superfícies mais ásperas, o que ajuda a formar uma pele mais grossa nos coxins e menos sensível a queimaduras e arranhões.

Proporcione um refresco ao seu pet

Considerada “frescura” por alguns, a dica é muito útil para quem tem cães adaptados para o inverno, como o husky siberiano e o chow chow, em cidades com altas temperaturas. Nesses casos, se possível, mantenha o cachorro em um ambiente com ar-condicionado ou um ventilador, o que deixa o animal mais confortável e o ajuda a dormir melhor, já que muitos pets sentem dificuldade para adormecer devido ao calor.

Se o animal vive do lado de fora da casa, certifique-se de que ele tem uma área coberta com espaço suficiente para que ele se abrigue do sol e uma cama para dormir com conforto, independentemente da casinha, que muitas vezes é muito quente para o animal ficar nessa época do ano. Em hipótese alguma deixe o pet dentro do carro, mesmo que por um curto período ou com os vidros semiabertos.

Além disso, se o cão for de uma raça que pode ser tosada, priorize o bem-estar do animal à beleza e faça tosas regulares. Fique atento, porém, ao fato de que as áreas antes recobertas por pelos estarão menos protegidas. Por isso, muita atenção com a exposição do seu pet ao sol!

Dê banhos regulares

Respeitando as características de cada raça, procure dar banhos regulares, com água fria ou no máximo em temperatura ambiente no seu pet, especialmente se ele estiver muito ofegante.

Na impossibilidade de um banho completo, tente ao menos molhá-lo para diminuir a sensação de desconforto. Muita atenção também com os animais que  adoram água. Na tentativa de se refrescar, eles podem pular na piscina e não conseguir sair, o que pode causar afogamentos.

Fique longe das focinheiras

Durante os dias mais quentes, evite que seu cachorro use focinheiras fechadas, já que elas atrapalham o animal na troca de calor, fazendo com que eles fiquem ainda mais ofegantes.

Na impossibilidade de passear com o cachorro sem o acessório de segurança, procure comprar um modelo mais leve, feito com redes que ajudam na ventilação da área.

Use filtro solar

Sim, a dica de verão tão comum para os humanos também serve para cachorros! Muita gente não sabe, mas existem diversas marcas adaptadas ao consumo animal disponíveis no mercado.

Na hora de aplicar o produto, dê preferência às áreas que são menos recobertas por pelos e mais suscetíveis a queimaduras, como a barriga, o nariz  e as orelhas.

E atenção: em hipótese alguma aplique o protetor solar formulado para humanos no seu pet. Apesar de bem-intencionada, a medida pode trazer sérios danos à saúde do animal. Consulte sempre um veterinário para que ele indique o produto mais adequado para cada raça.

Atente-se aos sinais de insolação

Se o cachorro está ofegante demais, apático, pondo a língua para fora constantemente, parece sentir tontura ou vomita, é importante ficar alerta, pois esses são alguns sinais de que ele pode estar sofrendo com uma insolação.

O mais importante é diminuir a temperatura do corpo do animal o mais rápido possível. Remova-o para um local fresco e com sombra e aplique água em sua cabeça, pescoço e torso. Faça com que ele beba bastante água e leve-o imediatamente ao veterinário, que poderá fazer uma avaliação completa do estado do animal.

Tenha cuidado com a alimentação

A dica, claro, vale para o ano todo. Afinal, estar atento ao que o seu cachorro come é um cuidado a ser mantido sempre. No entanto, no verão, alguns donos, na tentativa de ajudar o animal a se refrescar, acabam oferecendo alimentos que não fazem bem para a saúde deles.

Por isso, mesmo nas épocas mais quentes do ano, não dê ao seu cão alimentos como uvas, abacates e limões, que podem provocar diarreia, vômitos e até outros problemas de saúde mais graves no seu pet.

Resista também à tentação de oferecer sorvete a ele, já que os cães não têm enzimas suficientes para digerir a lactose e podem sofrer com diarreias e outros problemas digestivos.

Também não se preocupe muito se o animal não comer a mesma quantidade a que está acostumado nos dias mais frios. Esse é um comportamento bem comum. Assim como os humanos, os cães tendem a diminuir a ingestão de alimentos nos dias mais quentes.

Seguindo estas recomendações, vai ficar muito mais fácil ajudar o seu animal de estimação a aproveitar com conforto e saúde a estação mais quente do ano.

Gostou das nossas dicas de como cuidar de um cachorro no verão? Então, aproveite para saber mais sobre como adestrar o seu pet!

0 comentário em “Como cuidar de um cachorro no verão?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: