Por Isabella Codignoto

Convidamos algumas pessoas do time do FOUND IT! para dar dicas para o restante da equipe. O resultado ficou tão legal que achamos que seria bacana compartilhar com vocês também! O primeiro conteúdo foi feito pela Isa do nosso financeiro. Boa leitura!

Organização financeira num primeiro instante pode ser um hábito difícil de ser colocado em prática, mas quem começa a se planejar financeiramente não quer mais parar! Portanto, se as dívidas derem o ar de sua graça, não se desespere. Você pode quitá-las, sem cair no equívoco de cometer mais dívidas para saudá-las e ainda ter a possibilidade de conquistar a sua independência (Já pensou que TUDO? rs)! Para isso, aqui vão alguns passos básicos para isso. Vamos lá?

Passo 1: conheça seus gastos

O ideal para se organizar é determinar quais são suas principais despesas, ou seja, diferenciar as fixas das variáveis e registrar em uma planilha, por exemplo. Não é preciso ser nada de muito profissional, é necessário apenas para que você entenda e coloque em prática a análise disso diariamente.

Passo 2: aplique a fórmula 50-15-35

50% para gastos essenciais: Essas despesas compreendem categorias como transporte (caso possua veículo próprio), alimentação, mercado e educação, ou seja, tudo que é necessário pra se manter no dia-a-dia.
15% para prioridades financeiras: Depois dos 50% para gastos essenciais, é preciso destinar 15% da renda líquida para prioridades financeiras como dívidas, por exemplo. Às vezes, é preciso até ultrapassar os 15% para conseguir equilibrar o orçamento no final do mês e alcançar a organização financeira.
Caso suas dívidas estejam em dia ou você não as possui, que tal aplicar em algum fundo? Temos centenas de opções hoje em dia, mas como estamos em uma situação delicada, caso precisem de conselhos estarei aqui!
35% para despesas relacionadas ao estilo de vida: São gastos relacionados aos hobbies, lazer, diversão, cuidados pessoais e afins (para manter essas princesas e príncipes que temos aqui, precisamos nos cuidar também!). Para ter qualidade de vida, reserve 35% da sua renda líquida para essas categorias.
Vale destacar que os gastos de estilo de vida devem sempre vir depois das despesas essenciais. Além disso, se seu objetivo é economizar um pouco mais para a realização de um sonho ou objetivo como dar entrada em um imóvel, comprar um carro, as categorias ligadas ao estilo de vida são as que têm maior potencial de redução de gastos.
Por que aplicar essa fórmula ajuda tanto? Pois nela conseguimos identificar aquelas famosas compras por “impulso”, as quais nem sempre precisamos ter mas que por descuido acabamos gastando. Sem contar que sempre podemos definir as prioridades e criar organização para sempre sobrar um pouquinho, não é?

Passo 3: elimine suas dívidas

  • Coloque todas as suas dívidas na ponta do lápis e priorize as que tem maiores juros, pois
    estas são as que podem comprometer toda a organização financeira que estamos buscando.
  • Pague à vista. Não tenha dó de mexer naquele dinheirinho que você levou certo tempo para
    poupar se caso as dívidas estejam ameaçando seu orçamento. Pague-as imediatamente! Desta
    forma, evita nome sujo, juros por atraso e evitar novas dívidas.
  • Abra mão do consumo por um tempo. Corte da sua rotina coisas que não são essenciais e
    substitua por outras. Um exemplo é a ida à academia: substitua por aquela corrida massa com
    o amigo (a), ou pela prática de esportes ao ar livre. Por que não?
  • Tire o foco do “vermelho” e assuma a responsabilidade pelas suas dívidas. Ficar pensando
    demais nos problemas e procurando culpados pelo seu descontrole financeiro não solucionará
    sua vida. Apenas tenha em mente o esforço pra que isso não aconteça mais!

Passo 4: guarde uma reserva de segurança

Só porque sobrou um dinheirinho depois de pagar todas as contas mensais, você já abre um sorriso e pensa: “To precisando tanto daquela calça…”, mas NÃO SE ILUDA! A necessidade desnecessária é a nossa maior inimiga, controle-se e guarde em sua poupança.
Esta reserva pode te salvar de imprevistos, como perda ou redução temporária de sua renda mensal, sem que você precise de empréstimos ou tenha que mexer no cheque especial.

Passo 5: cuidado com o cartão de crédito

Acredite, passar R$10 reais no cartão de crédito pode virar R$600 o final do mês. Essa é a minha dica para você, descontrolado! Gaste nele o essencial, como mercado e combustível do carro.
Escolha o melhor dia para comprar e priorize sempre a data que o cartão é fechado para que não comprometa seu planejamento do mês seguinte, pois assim você terá mais tempo para ter que pagar pela compra feita.
APROVEITE O PARCELAMENTO! SIMMM! Mas antes de parcelar, analise bem se essa prestação irá caber no seu bolso e, principalmente, se tem juros.
Sempre pague o valor total da fatura! Nunca caia na história de pagar o valor mínimo, pois isso pode virar uma bola de neve e uma dívida sem fim.
E ah! Caso queira um controle maior, guarde os comprovantes para bater com seus gastos no final do mês!

Seguindo esses passos, você vai virar a pessoa mais controladora da face da terra mas para o seu bem, acredite! Nenhuma mudança acontece do dia para noite, mas não desista de realizar seus sonhos, comprar aquele imóvel ou fazer aquela viagem porque não te sobra um centavinho sequer. Persista na ideia e a realize! Profetiza!
Depois, quando você estiver craque, me conte tudinho! Estarei aqui para te ajudar!