Você já ouviu falar no Setembro Amarelo? Ano após ano a campanha tem ganhado cada vez mais destaque e todos nós podemos fazer nossa parte e somar forças à essa causa tão importante! Por isso hoje vamos falar sobre o Setembro Amarelo: o que é o movimento e o que fazer para ajudar a causa.

O que é e como surgiu o Setembro Amarelo

Você sabia que aqui no Brasil uma pessoa comete suicídio a cada 45 minutos? Quando falamos de âmbito mundial, esse número aumenta para uma pessoa a cada 40 segundos. Esses são dados tristes e que, mais do nunca, servem para nos alertar da importância de campanhas como o Setembro Amarelo.

A campanha, que hoje tomou proporções mundiais, foi criada para dar voz à luta contra o suicídio. Aqui no Brasil, ela foi criada em 2015 pelo CVV, o Centro de Valorização da Vida, junto com o Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria, para marcar o mês do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, que é em 10 de setembro.

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e em mais de 90% dos casos existe prevenção. Por isso a campanha é tão importante: para que as pessoas se sintam à vontade para falar sobre seus problemas e achar, com ajuda, uma forma de superá-los.

Exemplos de ações do Setembro Amarelo

Em setembro, no mundo todo, entidades tanto do setor público quanto do privado, assim como a população, tem se engajado cada vez mais no movimento.

Além de campanhas com panfletos informativos, palestras e apoio médico, muitos lugares iluminam seus principais monumentos de amarelo, como o Cristo Redentor e o Congresso Nacional, como mostra a página da campanha:

Assim como essas entidades, empresas, familiares e amigos também tem papel fundamental na prevenção ao suicídio. Seja no ambiente familiar ou no ambiente de trabalho, estabeleça sempre um clima onde as pessoas se sintam confortáveis para conversar e seguras em pedir ajuda.

Como a própria página oficial da campanha mostra, “podemos ficar atentos ao isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como ‘preferia estar morto’ ou ‘quero desaparecer’ podem indicar necessidade de ajuda“.

Como pedir ajuda

Se você está passando por um momento difícil ou conhece alguém que esteja, não hesite em ir atrás de ajuda.

O site do CVV disponibiliza quatro canais para atendimento, sendo o mais conhecido o telefone 188, que conta com voluntários prontos para atender aos pedidos 24 horas por dia.

Agora que você leu sobre o Setembro Amarelo e já sabe o que é o movimento e o que fazer para ajudar a causa, lembre-se: falar é a melhor solução!